domingo, 29 de janeiro de 2012

Transmissão Vertical de Hepatite B

Estudo retrospectivo realizado na China acompanhou filhos de mulheres HBSAg positivas que fizeram profilaxia logo após o nascimento com gamaglobulina hiperimune para hepatite B e a primeira dose da vacina, para avaliar os motivos de falha desta profilaxia.
Todas as mães que transmitiram a infecção para seus filhos eram HBEAg positivas e tinham carga viral maior que log 6,0 cópias/ml.
O fator de risco para falha na profilaxia pós natal da hepatite B foi a magnitude da carga viral materna. Quando a carga viral materna foi estratificada em < 6; 6 - 6,99 ; 7 - 7,99 e maior que log 8 cópias/ml, a falha na profilaxia foi zero, 3,2%, 6,7% e 7,6% respectivamente.
Sendo assim, gestantes portadoras de hepatite crônica B, HBEAg positivas com cargas virais maiores que log 6 cópias/ml devem ser acompanhadas em centros especializados devido ao risco aumentado de transmissão vertical do HBV.

Journal of Viral Hepatitis, 2012, 19, e18–e25

Nenhum comentário:

Postar um comentário