segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Demora para liberação dos novos medicamentos para tratamento de HCV

O Ministério da Saúde está informando a liberação dos novos medicamentos para tratamento da hepatite C crônica desde de julho de 2015. Muitos pacientes estão em situação delicada, com cirrose hepática avançada e risco de desenvolver hepatocarcinoma. A demora nesta liberação faz com que pacientes descrentes e necessitados, estejam tentando tratamento através de processo judicial. Isto torna o custo muito maior para um País já sem recurso.
Esperamos que o Ministério da Saúde de uma resposta mais rápida para os portadores de cirrose hepática pelo vírus da hepatite C.

sábado, 17 de janeiro de 2015

Anvisa registra novo medicamento para tratamento da hepatite C

Anvisa registra novo medicamento para tratamento da hepatite C

A Anvisa concluiu o registro do Daklinza (daclatasvir), novo medicamento para tratamento da hepatite C crônica.
O Daclatasvir é inibidor de uma proteína não estrutural NS5A do vírus da hepatite C, com atividade pangenotípica. É metabolizado pelo CYP 3A4 do sistema citocromo P-450.
Ocorre que a simples liberação do daclatasvir sem que o Sofosbuvir seja também liberado de nada adianta como arsenal terapêutico Interferon free.Temos muitos pacientes em situação delicada, que necessitam de tratamento urgente e que não podem utilizar o Interferon devido seus efeitos colaterais. Infelizmente a simples liberação do Daclatasvir não oferece nova opção terapêutica. Ficamos na expectativa de rapidez na aprovação das outras drogas e no processo burocrático que se segue, para que realmente possamos oferecer tratamento de ponta para nossos pacientes.

Medicamento 3 em 1 para a AIDS começa a ser distribuído em todo o país

Medicamento 3 em 1 para a AIDS começa a ser distribuído em todo o país

Finalmente o Ministério da Saúde comunica que ja esta sendo distribuído a associação de Tenofovir 300mg+lamivudina 300mg+Efavirenz 600mg em um comprimido só.
Esta associação ja existe há muitos anos nos Estados Unidos com o nome comercial de Atripla, pois associa tenofovir+emtricitabina+efavirenz. A emtricitabina é uma droga semelhante à lamivudina que não veio para o Brasil.
A promessa do Ministério da Saúde é antiga e no final de 2013 ja havia a proposta  da liberação deste esquema.
Será um benefício para muitos pacientes.
Segue link:
http://www.aids.gov.br/noticia/2015/medicamento-3-em-1-para-aids-comeca-ser-distribuido-em-todo-o-pais

domingo, 29 de janeiro de 2012

Transmissão Vertical de Hepatite B

Estudo retrospectivo realizado na China acompanhou filhos de mulheres HBSAg positivas que fizeram profilaxia logo após o nascimento com gamaglobulina hiperimune para hepatite B e a primeira dose da vacina, para avaliar os motivos de falha desta profilaxia.
Todas as mães que transmitiram a infecção para seus filhos eram HBEAg positivas e tinham carga viral maior que log 6,0 cópias/ml.
O fator de risco para falha na profilaxia pós natal da hepatite B foi a magnitude da carga viral materna. Quando a carga viral materna foi estratificada em < 6; 6 - 6,99 ; 7 - 7,99 e maior que log 8 cópias/ml, a falha na profilaxia foi zero, 3,2%, 6,7% e 7,6% respectivamente.
Sendo assim, gestantes portadoras de hepatite crônica B, HBEAg positivas com cargas virais maiores que log 6 cópias/ml devem ser acompanhadas em centros especializados devido ao risco aumentado de transmissão vertical do HBV.

Journal of Viral Hepatitis, 2012, 19, e18–e25

quinta-feira, 9 de junho de 2011